Pág. Inicial

ORIENTAÇÃO POR MÉTODOS EXPEDITOS
(Métodos não Rigorosos)
 
 
 
* Orientação pelo Sol com relógio
* Orientação pelo Sol com vara
* Cálculo das horas pelo Sol
* Orientação pela Ursa Maior e Ursa Menor
* Orientação pela Constelação Orion
* Conhecimento do tempo

 


 
Figura 1 - Orientação sem bússola -  Orientação pelo Sol com relógio

 
Além do conhecido Norte Magnético, que se encontra com o auxílio da bússola, existe um outro norte que é o da estrela polar e que fica no topo da terra. Este é o verdadeiro norte e que por essa razão, se chama norte verdadeiro.
Se não tivermos uma bússola para nos indicar onde fica o norte magnético, através do sol poderemos ficar a saber onde se encontra o norte verdadeiro. Através do norte verdadeiros, já poderemos calcular os restantes pontos cardeais.
- às seis da manhã (hora solar) o sol encontra-se a Leste
- às nove a Sueste
- ao meio-dia a Sul
- às seis da tarde a Oeste
Estas indicações servem para o Hemisfério Norte e temos que ter em atenção que no inverno, como o sol se põe mais cedo, ele não indica tão correctamente o Oeste.
No Hemisfério Sul:
- às seis da manhã o sol encontra-se a Leste
- às nove a Nordeste
- ao meio-dia a Norte
- às três da tarde a Noroeste
- às três da tarde a Oeste
No HEMISFÉRIO NORTE, para encontrar o SUL a qualquer hora do dia através do Sol, basta colocar o relógio horizontalmente com o mostrador para cima, de maneira que lhe bata o sol. Em seguida apontamos o ponteiro das horas para o sol. Sem deslocar o relógio, coloca-se um pau ou um lápis sobre o mostrador, de modo que passe pelo centro do mostrador e pelo ponto médio do arco entre o número 12 e o ponteiro das horas (ver figura 1). A posição do lápis dá-nos a linha Norte-Sul.
No HEMISFÉRIO SUL, volta-se para o sol o número 12 (em vez do ponteiro das horas) e o Sul ficará então entre os dois ponteiros como dantes.


 
Figura 2 - Orientação sem bússola -  Orientação pelo Sol com vara

 
1) Crave uma vara no chão num local onde se possa projectar uma sombra distinta. Marque o local onde a sombra da ponta da vara, bater no solo.
2) Espere que a sombra da vara se desloque alguns centímetros. Se a vara tiver 1 metro, bastam cerca de 15 minutos. Quanto mais comprida for a vara, mais rapidamente se deslocará a sombra. Marque a nova posição da sombra da ponta da vara.
3) Trace uma linha recta passando pelas duas marcas referidas, obtendo aproximadamente, a linha Leste-Oeste. A primeira marca fica sempre para Oeste, a segunda marca fica sempre para Leste, seja qual for a hora do dia e em qualquer lugar da terra.
4) Qualquer linha perpendicular à anterior, indicará aproximadamente, a direcção Norte-Sul, a qual  ajudará a orientar-se para qualquer direcção de marcha.
NOTA: Não é necessário que o terreno seja horizontal ou de tamanho considerável.


 
Figura 3 - Orientação sem bússola -  Cálculo das horas pelo Sol

 
Utilizando o método do cálculo da direcção do norte com vara (Figura anterior), crave uma estaca na intersecção das linhas leste-oeste e norte-sul. A ponta Oeste da linha indica-nos as 6 horas e a ponta leste indica as 18 horas, em qualquer parte da terra.
A linha norte-sul fica transformada, na linha do meio-dia. A sombra da vara é o ponteiro das horas deste relógio de sol.
A sombra pode deslocar-se tanto no sentido do ponteiro do relógio como no sentido contrário, consoante a nossa localização e a estação do ano, mas este facto não altera a maneira de ler deste relógio.


 
Figura 4 - Orientação sem bússola - Orientação pelas Estrelas -  Ursa Maior e Menor

 
Grande parte das estrela receberam o seu nome consoante as suas parecenças com formas humanas ou animais.
A URSA MAIOR é bastante fácil de se encontrar, desde que as noites sejam claras e estreladas. Tem a forma parecida com uma charrua ou uma concha de sopa.
As duas estrelas da Ursa Maior, chamadas de guardas, indicam-nos a Estrela do Norte ou Polar e que é a última estrela da cauda da Ursa Menor.
Todas as estrelas e constelações, se deslocam no céu durante noite, excepto a estrela polar, que permanece fixa no Norte.
Este método apenas é válido se estivermos na parte setentrional da terra


 
Figura 5 - Orientação sem bússola - Orientação pelas Estrelas -  Constelação Orion

 
Tal como a Ursa Maior e Menor, a constelação Orion, indica-nos a estrela polar, mas, é válida tanto para o hemisfério Norte como para o hemisfério Sul.
Este grupo de estrelas representa um homem com a sua espada e talabarte.
Saltam-nos logo à vista as três estrelas em linha (o talabarte) e outras três menores muito próximas que formam a espada.
Mais abaixo, duas estrelas, uma à direita e outra à esquerda, formam os pés da Orion.
Duas outras mais acima do talabarte, são os ombros e um grupo de três estrelas mais pequenas, formam a cabeça.
Se traçarmos uma linha da estrela central do cinto e pelo meio da cabeça de Orion, vamos encontrar mais adiante, duas grandes estrelas até chegar a uma terceira estrela, que será a estrela polar e que nos indica o Norte.



CONHECIMENTO DO TEMPO
Para a previsão do tempo que irá fazer no espaço de tempo a seguir, existem algumas regras que é importante recordar:
- Vermelho ao sol-pôr Anuncia um lindo dia
- Vermelho ao mar Sol de rachar
- Vermelho de manhã Chuva
- Amarelo ao sol-pôr Vento
- Amarelo desmaiado ao sol-pôr Dia a seguir com chuva
- Orvalho e nevoeiro de madrugada Bom tempo
- Vermelho a nascente Chuva repentina
- Amanhecer claro Bom tempo
- Amanhecer alto (sol por cima das nuvens no horizonte) Vento
- Nuvens macias Bom tempo
- Nuvens de contornos recortados Vento
- Nuvens de contornos arredondados ou denteados Vento forte

  


ORIENTAÇÃO PELA LUA


Tal como o sol, a Lua nasce a Leste, só que a hora a que nasce depende da sua fase.

A Fase da Lua depende da posição do sol. A parte da Lua que está iluminada indica a direcção onde se encontra o sol.

 

Para saber se a a face iluminada da Lua está a crescer (a caminho da Lua Cheia), ou a minguar (a caminho da Lua Nova), basta seguir o dizer popular de que «a Lua é mentirosa». Assim, se a face iluminada parecer um «D» (de decrescer) então está a crescer. Se parecer um «C» ( de crescer) então está a decrescer ou (minguar).


Quadro com a direcção da Lua em função da sua Fase e da Hora

HORA

12h

SE

E

NE

N

NO

O

SO

S

15h

S

SE

E

NE

N

NO

O

SO

18h

SO

S

SE

E

NE

N

NO

O

21h

O

SO

S

SE

E

NE

N

NO

24h

NO

O

SO

S

SE

E

NE

N

3h

N

NO

O

SO

S

SE

E

NE

6h

NE

N

NO

O

SO

S

SE

E

9h

E

NE

N

NO

O

SO

S

SE


ORIENTAÇÃO PELAS ESTRELAS


A orientação pelas estrelas é um dos métodos naturais mais antigos, em todas as civilizações. As constelações mais usadas pelos Escuteiros, no Hemisfério Norte, são a Ursa Maior, Ursa Menor, Orion e a Cassiopeia.


 

A URSA MAIOR

A Ursa Maior é uma das constelações que mais facilmente se identifica no céu. Tem forma de uma caçarola, embora alguns povos antigos a identificassem como uma caravana no horizonte, bois atrelados, uma concha e mesmo um homem sem uma perna. O par de estrelas Merak e Dubhe formam as chamdas «Guardas», muito úteis para se localizar a Estrela Polar. Curiosamente, existem duas estrelas (Mizar e Alcor) que se confundem com uma apenas, mas um bom observador consegue distingui-las a olho nú.


A URSA MENOR

A Ursa Menor, ligeiramente mais pequena que a Ursa Menor, é também mais difícil de indentificar, principalmente com o céu ligeiramente nublado, uma vez que as suas estrelas são menos brilhantes. A sua forma é idêntica à da Ursa Maior. Na ponta da sua «cauda» fica a Estrela Polar, bastante mais brilhante que as outras estrelas, e fundamental para a orientação. Esta estrela tem este nome precisamente por indicar a direcção do Polo Norte. As restantes constelações rodam aparentemente em torno da Estrela Polar, a qual se mantém fixa.

 


 

ORION ou ORIONTE

A constelação de Orion (ou Orionte) é apenas visível no Inverno, pois a partir de Abril desaparece a Oeste, mas é muito facilmente identificável. Diz a mitologia que Orion, o Grande Caçador, se vangloriava de poder matar qualquer animal. O terrível combate que travou com o Escorpião levou os deuses a separá-los. A constelação de Escorpião encontra-se realmente na região oposta da esfera celeste, daí nunca se conseguirem encontrar estas duas constelações ao mesmo tempo acima do horizonte.

A constelação de Orion parece, assim, um homem, sendo as estrelas Saiph e Rigel os pés. Ao meio aparecem 3 estrelas em linha recta, que se reconhecem imediatamente, dispostas oblíquamente em relação ao horizonte. Este trio forma o Cinturão de Orion, do qual pende uma espada, constituída por outras 3 estrelas, dispostas na vertical.

Prolongando uma linha imaginária que passe pela estrela central do Cinturão de Orion, passando pelas 3 estrelas da «cabeça», vamos encontrar a Estrela Polar.


A ORIENTAÇÃO PELAS ESTRELAS

 

 

Se traçarmos uma linha imaginária que passe pelas duas «Guardas» da Ursa Maior, e a prolongarmos 5 vezes a distância entre elas, iremos encontrar a Estrela Polar. A figura ilustra este procedimento, e mostra também o sentido de rotação aparente das constelações em torno da Estrela Polar, a qual se mantém fixa.

Se prolongarmos uma linha imaginária passando pela primeira estrela da cauda da Ursa Maior (a estrela Megrez) e pela Estrela Polar, numa distância igual, iremos encontrar a constelação da Cassiopeia, em forma de «M» ou «W», a qual é facilmente identificável no céu. Assim, a Cassiopeia e a Ursa Maior estão sempre em simetria em relação à Estrela Polar.

Para obter o Norte, para nos orientarmos de noite, basta descobrir a Estrela Polar. Se a «deixarmos cair» até ao horizonte, é nessa direcção que fica o Norte.

 

 

Pág. Inicial